Páginas

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Racket com readline


Para quem estava acostumado ao IPython, usar o interpretador do Racket no terminal pode ser um bocado decepcionante.

Isto porque por padrão o REPL é bem rudimentar, sem suporte a auto-completar, sem histórico, sem nada...

O que existe entretanto é um problema com licenças. O readline é distribuído em GPL, e o Racket em LGPL, e para não haver conflitos o suporte a readline vem desativado por padrão. Mas ele está lá.

A documentação em inglês dá os detalhes completos: Readline: Terminal Interaction.
Este módulo vai tornar sua experiência no REPL muito mais agradável, naqueles momentos em que você está no terminal e não quer abrir o DrRacket ou o Emacs.

Para usar basta iniciar o racket assim:

  racket -il readline

E se você não quiser ter que fazer isto toda vez, basta instalar permanentemente o suporte ao readline chamando uma função :D


Pronto. Agora toda vez que executar racket você entratá num REPL com histórico (que lembra inclusive as sessões anteriores), auto-completar usando tab, seta pra cima e pra baixo pra navegar nos comandos, etc.

Para ficar melhor ainda, adicione uma linha no arquivo ~/.inputrc:

set blink-matching-paren on

Esta sugestão do Eli Barzilay faz com que seu terminal indique qual "(" está relacionado com qual ")" quando você digita, e funciona tanto dentro do racket quanto em qualquer outro canto, inclusive no IPython. Também funciona com [] e {}.

E não pára por aí... o REPL vai ficar melhor ainda com o XREPL que vem aí na próxima release.
Com ele será possível fazer coisas já corriqueiras no IPython, agora em Racket.

Happy hacking!

Nenhum comentário: